UP é o partido com a maior proporção de candidatos negros

70% dos concorrentes do partido são negros, contra 49% da média dos demais partidos

Os dados do Tribunal Superior Eleitoral, publicados após o registro das candidaturas em todo país na segunda-feira (28) demonstraram que a Unidade Popular - UP é o partido com maior numero de candidaturas negras. Em sua primeira eleição, a Unidade Popular terá 69,9% de seus candidatos e candidatas negros. Num país marcado pelo racismo e a exclusão do povo negro dos espaços de poder, esse dado não é qualquer coisa.


“Não foi difícil para a Unidade Popular, acredito em nenhum estado, escolher sem vacilar os militantes que são as referências nas lutas locais e nacionais. A Unidade Popular é o partido construído pelo povo brasileiro e que tem a cara do povo. Ter o maior número de candidaturas negras mostra que de fato a UP é o partido do povo pobre, negro e trabalhador, não só no discurso, mas na prática!”, afirma Hector Belém, jovem negro e candidato a vereador de Teresina na chapa coletiva de juventude Nós por Nós.

Foto: DivulgaçãoHéctor Belém, candidato a vereador
Héctor Belém, candidato a vereador


Para Ellica Ramona, candidata à vice-prefeita de Teresina,"é fundamental que os partidos e a política tenham a cara do nosso povo. A população negra é a maioria nos postos de trabalho mais precários, somos a maioria dos desempregados e somos a maioria da população abaixo da linha da pobreza. No entanto, ainda somos a minoria nos espaços de decisão e de poder, a exemplo da Câmara Municipal, onde só temos 2% dos 29 vereadores negros. Por fim, acreditamos que os espaços políticos e a política devem ser construídos pelo povo, pois somente assim teremos políticas que de fato sirvam aos interesses da maioria da população”.

Foto: DivulgaçãoEllica Ramona, candidata à vice-prefeita pela UP
Ellica Ramona, candidata à vice-prefeita pela UP


Esse DNA também fica expresso na fala do presidente nacional do partido, Leonardo Péricles:“A UP foi um dos poucos partidos que participou ativamente dos atos antirracistas e antifascistas durante a pandemia, pois somos o partido daqueles que não têm o direito à quarentena, dos entregadores de aplicativo, das diaristas, dos sem-teto, dos camelôs, de quem vive na periferia, nas favelas e quebradas, e isso se reflete na composição social de nossa militância”.


Essa será a primeira vez que a maioria dos candidatos inscritos para a disputa eleitoral não será composta por brancos. Segundo o TSE, 49,9% dos candidatos são negros, contra 47,8% autodeclarados brancos. Para termos de comparação, nas últimas eleições municipais, em 2016, 52,4% dos candidatos eram brancos e 47,8% eram negros.