Pensar Piauí

Sem reconhecer Lula vencedor e pressionado pelos seus, Bolsonaro fala pela primeira vez

Ciro Nogueira garantiu transição

Foto: DivulgaçãoPronunciamento de Bolsonaro
Pronunciamento de Bolsonaro

Jair Bolsonaro fez um pronunciamento nesta terça-feira (1). Foi sua primeira manifestação após a derrota para Luiz Inácio Lula da Silva na eleição presidencial de domingo (30). 

Em um pronunciamento curto, Bolsonaro disse que os protestos golpistas que bloqueiam rodovias pelo país são fruto da "indignação" das pessoas por se sentirem supostamente injustiçadas. Bolsonaro não contestou o resultado da eleição, defendeu manifestações pacíficas. 

"Quero começar agradecendo os 58 milhões de brasileiros que votaram em mim no último dia 30 de outubro. Os atuais movimentos populares são fruto de indignação e sentimento de injustiça de como se deu o processo eleitoral. As manifestações pacíficas sempre serão bem-vindas, mas os nossos métodos não podem ser os da esquerda, que sempre prejudicaram a população, com invasão de propriedades, destruição de patrimônio e cerceamento do direito de ir e vir", afirmou o presidente.

Bolsonaro afirmou que sempre respeitou a Constituição e continuará com esse comportamento. "Sempre fui rotulado como antidemocrático e, ao contrário dos meus acusadores, sempre joguei dentro das quatro linhas da Constituição. Nunca falei em controlar ou censurar a mídia e as redes sociais. Enquanto presidente da República e cidadão, continuarei cumprindo todos os mandamentos da nossa Constituição", continuou.

Em seguida a fala de Bolsonaro, o Ministro Chefe da Casa Civil, Ciro Nogueira, falou que está autorizado por Bolsonaro a iniciar o processo de transição e que o fará quando for provocado oficialmente pelo PT.