Pensar Piauí

Polícia da Bahia prende três suspeitos do assassinato de Mãe Bernadete

Mãe Bernadete, como era conhecida, foi assassinada a tiros dentro da associação do Quilombo Pitanga dos Palmares no dia 17 de agosto

Foto: ReproduçãoMãe Bernadete, líder quilombola assassinada em 17 de agosto
Mãe Bernadete, líder quilombola assassinada em 17 de agosto

A Polícia Civil da Bahia anunciou, na manhã desta segunda-feira, que prendeu três homens suspeitos de envolvimento no assassinato da líder quilombola Bernadete Pacífico, de 72 anos. Ela foi executada na noite do último dia 17 de agosto, quando criminosos armados invadiram sua casa e dispararam diversas vezes contra ela, no Quilombo Pitanga dos Palmares, na cidade de Simões Filho, na Região Metropolitana de Salvador.

As prisões foram anunciadas pelo secretário de Segurança Pública da Bahia, Marcelo Werner, em coletiva de imprensa em Salvador. De acordo com ele, e com os demais investigadores envolvidos no caso, cada suspeito teria uma participação diferente no crime. Um deles é suspeito de ser um dos autores dos disparos que mataram Mãe Bernadete. Encontrado pela equipe do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa em Araçá, a cerca de 100km de Salvador, ele confessou o crime, chegou a revelar a motivação aos policiais, mas a informação ainda é tratada com cautela.

– Ele fala o motivo, mas precisamos saber se condiz com a verdade. Qualquer informação passada agora pode não ser a verdade – disse a delegada-geral de Polícia Civil da Bahia, Heloísa Brito.

O segundo suspeito teria guardado e escondido as armas usadas no crime. O armamento foi encontrado e apreendido e o homem foi preso por porte ilegal de armas. Um terceiro foi preso por receptação dos celulares que foram levados da casa da vítima naquela noite. A Polícia Civil ainda procura por ao menos um quarto suspeito de participação no crime, que também teria feito disparos contra Mãe Bernadete.

Os suspeitos, diz a polícia, pertencem a uma quadrilha ligada ao tráfico de drogas e a pistolagem na região.O secretário Marcelo Werner disse que há ainda diferentes linhas de investigação sobre a motivação.

– Nós temos algumas linhas ainda de investigação em andamento. Se a gente antecipar qualquer uma dessas linhas, pode ser prejudicial, vai ser prejudicial à investigação. Então, a gente segue as investigações porque existem ainda outras medidas cautelares em andamento. Nós temos inclusive não só equipes trabalhando agora em campo em busca de outros elementos, de outras pessoas para serem ouvidas também. Temos recebido também diversas informações através dos denúncias através do 181, que estão também sendo reportadas à equipe de investigação para apuração, inclusive a possível identificação, localização do outro executor – disse.

Procurado, o filho de Mãe Bernadete, Jurandir Pacífico, disse que ainda está em busca de informações sobre as prisões. Ao saber da notícia da polícia, ele se dirigiu à delegacia

– Eu estou sem saber de nada até o momento, tenho que aguardar – afirmou o filho, que disse não saber nem mesmo como a polícia chegou nos suspeitos.

Há expectativa de que a família de Mãe Bernadete realize uma coletiva de imprensa ainda na tarde desta segunda-feira para comentar sobre as novidades nas investigações.

Com informações do O Globo