Paratleta é ameaçado com arma por servidor do Detran-SP

Alan Fonteles, velocista paraense, afirma que pistola foi apontada para seu rosto por servidor público após desentendimento na retirada de seu carro

Foto: Comite ParaolimpicoAlan Fonteles
Alan Fonteles

O paratleta paraense Alan Fonteles, que competirá na equipe de atletismo nos Jogos Paralímpicos de Tóquio, em agosto, acusa um funcionário do Departamento de Trânsito do Estado de São Paulo (Detran-SP) de tê-lo ameaçado com uma arma, que teria sido apontada para seu rosto durante um desentendimento ocorrido quando foi recuperar seu carro no órgão, na terça-feira (27). Ele estará nas Paralimpíadas de Tóquio, em agosto.

De acordo com sua versão, ao chegar ao Detran-SP para retirar seu veículo, que havia sido apreendido, os servidores do lugar já teriam agido com bastante aspereza desde o primeiro contato. Ele estava com a namorada e o pai dela.

Depois, quando foi acompanhar um agente até o local onde o carro estava estacionado, notou uma das portas amassadas e percebeu o homem forçando o câmbio do automóvel, momento em que reclamou das avarias e do comportamento do acusado.

A partir daí, segundo Fonteles, o servidor público começou a insultá-los e agrediu seu sogro e sua namorada. Ele, que é amputado e usada próteses nas duas pernas, tentou intervir e foi jogado pelo policial, que após perceber que sua pistola havia caído no chão, pegou-a e apontou para o rosto do paratleta.

“Antes de retirar (o carro), o funcionário estava tratando muito mal, com falta de educação. Na hora de fazer vistoria no carro, vi que tinha uma porta amassada e um dos funcionários forçou o câmbio. Eu fui reclamar e ele não gostou, disse para eu reclamar com o governo para ser ressarcido. “Ele [funcionário] xingou a gente, partiu para cima do meu sogro. Ele bateu no meu sogro, conseguiu dar um soco na minha namorada. Eu fui para cima dele, ele me derrubou e a arma caiu da cintura dele. Ele pegou a arma e apontou para a gente”, relatou o paratleta ao jornal O Liberal, de Belém (PA).

Fonteles não revelou se denunciou o fato às autoridades estaduais responsáveis pelo Detran-SP. Em nota oficial, o órgão público lamentou o fato e afirmou que está apurando a denúncia.