Ou a esquerda abre o olho ou as milícias vão mandar bem mais que no Rio de Janeiro

Polícia baiana executo miliciano sem o saber do Governador e no Ceará atos de insubordinação

Foto: Arquivo pessoalEstado policial tende a crescer
Estado policial tende a crescer





Fatos tem acontecido que mostram como o PT (e a esquerda de um modo geral) trabalha mal a questão da segurança pública.



O Partido tem assumido governos estaduais (constitucionalmente responsáveis pela segurança) mas tem feito pouco nesta área e sem inovação.



Há muitos anos, o movimento de esquerda no Brasil pensou e produziu propostas de políticas públicas, nas áreas de educação e saúde; nesta, inclusive, inovou criando o SUS – sistema público de saúde copiado por outros paises. Boa parte do arcabouço legal e organizativo que esta ai é resultado do trabalho da esquerda, nestas áreas e em outras, mas quando o tema é  segurança pública, a história é outra.



As policias no Brasil são oriundas de momentos nada democráticos do Brasil. A esquerda se propôs a não mexer nesta área e tenta administrar o que herdou de períodos nada republicanos.



Agora um miliciano foi morto num estado governado pelo PT e ao que parece o governador de nada sabia porque não tem controle sobre a polícia que constitucionalmente deveria estar subordinada a ele. Será que não Bahia há dois governos: o de Rui Costa e o da polícia?



Ontem, a segurança pública do Ceara voltou a mostrar despreparo e insubordinação a ponto de alvejarem um  imprudente e insensato senador da República.

É bom lembrar que o mandatário máximo do país, mesmo tendo sido expulso do exército por insubordinação, desenvolve um relação estreita com os seguimentos policiais do Brasil, preza pelo uso da força e trabalha pela instituição de um Estado policial.

Ou a esquerda abre o olho ou as milícias vão mandar bem mais que no Rio de Janeiro.