Numa sociedade sem fronteiras, Wellington Dias dialoga com o mundo

O governador Wellington Dias fala dos resultados de sua viagem à Roma

Foto: Alvaro LuisGovernadores da Pan Amazônia
Governadores da Pan Amazônia

Por Oscar de Barros

Acompanhei Wellington Dias em muitas de suas jornadas.

Nas disputas pela presidência do Sindicato dos Bancários, por exemplo.

Na campanha para deputado federal em 1998, pera prefeito de Teresina em 2000 e, claro, na vitoriosa campanha para o governo, em 2002, e as seguintes.

Em todos os momentos presenciei um homem sonhador. Wellington sempre sonhou com dias melhores para os seus.

Mas os ousados sonhos de Wellington  Dias não são apenas imaginários. Eles vêm acompanhados de proposições e muita determinação em alcançá-los.

O Consórcio Nordeste (um dos sonhos materializados de WDias) o indicou para representar a região em reunião consequente do Sínodo da Amazônia, no Vaticano. E lá se foi Wellington Dias.

Mas antes dele ir, teve parte da imprensa piauiense que questionou a viagem. Não por desconhecimento geo-políticos mas pela infindável mania de bater, para depois, barganhar.

No retorno de Wellington Dias, pedi um depoimento seu para publicar no pensarpiaui. Um depoimento que trouxesse as informações da viagem e os encaminhamentos.

Ao ver o vídeo, revi o sonhador Wellington Dias dando conta de suas andanças e fazendo propostas para uma sociedade mudial melhor.

O brasileiro/piauiense tem um presidente que o envergonha. Um presidente que em suas viagens internacionais faz o Brasil passar vexame,  ser humilhado. Que nada traz das viagens.

O piauiense tem um governador que lhe dá orgulho. Trata com os maiores líderes mundiais, faz os mesmos reconhecerem que são devedores de uma vida sustentável e cobra por isso. No futuro, quando o Piauí e o Brasil estiverem recebendo dividendos estrangeiros por conta da sustentabilidade, talvez aqueles que hoje falaram da viagem de Wellington Dias, nem se lembrem mais das ácidas criticas.

Vivemos uma numa sociedade sem fronteiras, Wellington Dias percebe e entende isso, mas, nem todos.

O jornalista Alvaro Luis Carneiro, assessor de imprensa do governador Wellington Dias, ouviu Dom Marcelo Sorondo, da Academia das Letras do Vaticano,  sobre as proposições do Chefe do Executivo piauiense. Veja: