Pensar Piauí

No Mato Grosso do Sul, 86% dos indígenas são presos sem intérprete

O estado tem o maior número de pessoas indígenas presas em todo o Brasil, com 377.

Foto: Reprodução/revista continenteIndígenas brasileiros
Indígenas brasileiros

Um estudo realizado pela Defensoria Pública do Mato Grosso do Sul em junho de 2023 e divulgados em abril deste ano traz à tona um fato, no mínimo, constrangedor: indígenas presos na Penitenciário Estadual de Dourados não compreendem o que está sendo dito.

O constrangimento fica ainda maior, de acordo com o estudo, quando dos 206 indígenas presos, 86% sequer tiveram acesso a intérprete de sua língua materna durante o processo, mesmo sem a compreensão da língua portuguesa.

Um caso que ilustra ainda mais o massacre instaurado desde o momento em que alguns disseram ter descoberto este país aconteceu quando um indígena foi condenada a 130 anos de prisão e não esboçou nenhuma reação. Ali, e somente ali, a pretensa Justiça percebeu que ele não conseguia entender o que estava sendo dito, portanto, não captava as informações.

A Penitenciária Estadual de Dourados tem a maior quantidade de pessoas indígenas encarceradas no Brasil, são 206 de um total de 377 no estado. No Brasil, há 1,2 mil indígenas presos, de acordo com a Secretaria Nacional de Políticas Penais (Senappen).

Durante o mutirão realizado em Dourados, 91,2% dos indígenas declararam não terem sido entrevistados por antropólogos e quase 70% disseram não receber visitas sociais. 80,5% afirmaram não terem sido informados a respeito dos direitos específicos, regra estabelecida pela Resolução 287/2019.

Com informações da Agência Brasil

ÚLTIMAS NOTÍCIAS