Médico apresenta o uso de novas tecnologias na reabilitação de pacientes

Médico apresenta o uso de novas tecnologias na reabilitação de pacientes

O uso de novas tecnologias na reabilitação de pacientes que perderam parte dos movimentos já é uma realidade no Brasil. Trabalhos realizados por aqui já inspiram pesquisadores de vários lugares do mundo. Algumas dessas pesquisas inovadoras foram apresentadas em Teresina, pelo médico neurocirurgião Hougelle Simplício, um dos palestrantes do Congresso Nacional de Reabilitação, que reúne quase 600 pessoas no Gran Hotel Arrey, até sábado (17). Hougelle é do Rio Grande do Norte e trouxe para o Congresso sua experiência com o uso da neuroengenharia na reabilitação. O médico mostrou as pesquisas feitas, primeiramente, com animais diagnosticados com Mal de Parkinson, e, depois, com pacientes que sofrem com a doença. “A partir do estímulo elétrico, ratos e macacos com Mal de Parkinson conseguiram se movimentar. Vários pesquisadores do mundo reproduziram essa pesquisa, incluindo pesquisadores dos Estados Unidos, Europa e Canadá”, afirma. Através de vídeos, Hougelle mostrou os resultados do estudo com pacientes com Mal de Parkinson. “Foi o primeiro grupo brasileiro que realizou esse trabalho de estimulação medular. Logo em seguida, um grupo do Canadá nos procurou para saber detalhes do estudo”, completa. O neurocirurgião também mostrou experiências junto a pacientes com deficiência visual e com deficiência auditiva. Ele ainda mostrou as pesquisas com a robótica flexível e o uso do exoesqueleto em pacientes que perderam a mobilidade. Na sua fala, o neurocirurgião Benjamim Pessoa Vale alertou para a urgente necessidade de implantação de uma rede de prevenção e tratamento do AVC.  Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), o AVC mata mais de 6,2 milhões no mundo por ano, sem contar as vítimas que ficam com sequelas e incapacitadas pelo resto da vida.  “O AVC é uma doença negligenciada pelos órgãos de saúde e pela população. Nós temos a obrigação, o desejo e a coragem de levantar essa bandeira no estado”, frisa.

 (Ceir)