Jesus Rodrigues do PSOL: "Lula, algumas condições serão postas à mesa"

O psolista teme que Lula encontre "um inimputável como Adélio Bispo ou que seja vítima como Marielle Franco

Foto: Google ImagensJesus Rodrigues - Luis Inácio Lula da Silva
Jesus Rodrigues - Luis Inácio Lula da Silva

Jesus Rodrigues, PSOL - PI

Lula está livre para ir e vir, mas para ser candidato ainda não. Correm contra ele algumas outras ações que, no meu entender, fazem parte de um estoque estratégico para prendê-lo até a próxima eleição, mesmo sem cumprir o devido processo legal. 

Quando decretaram a prisão de Lula em abril de 2018, manifestei publicamente minha solidariedade e a preocupação de que o cárcere o tirasse do eixo. Que neste período as reflexões, as conclusões pudessem construir suas melhores estratégias. Como se pode ver, o projeto já está em curso e inclui dois tipos de viagens. 

Aquelas por terra, já vi rodar pelas redes sociais vaquinha eletrônica para bancar os custos; não em todas, mas uma ou outra, estaremos apoiando. Espero que nas caminhadas pelo Brasil você não encontre um inimputável como Adélio Bispo ou que seja vítima de uma trama como a de Marielle Franco. Vivemos tempos de extrema intolerância.

Já as viagens com alianças de AaZ para a próxima campanha de 2022 e um possível governo aglomerando à direita, tenho uma opinião bem clara a defender nas instâncias do PSOL,  de não aceitarmos convite para estarmos aliados a partidos golpistas ou àqueles que, majoritariamente, votaram a favor da reforma trabalhista e da previdência, por exemplo. 

Portanto Lula, seja bem vindo à liberdade. Dos petistas o apoio deverá ser incondicional, entretanto de nós e outros mais, algumas condições serão postas à mesa.