Pensar Piauí

Dilma é eleita 'Mulher Economista 2023' pelos conselhos regionais e federal de economia

Ex-presidenta da República está à frente do banco do Brics desde março deste ano.

Foto: (Leo Correa/AP/Image PlusDilma Rousseff
Dilma Rousseff

A ex-presidenta Dilma Rousseff foi eleita para o prêmio Mulher Economista 2023, entregue pelo sistema Cofecon/Corecons, que reúne os conselhos regionais e o Conselho Federal de Economia (Cofecon). Dilma foi reconhecida por seu trabalho à frente do Novo Banco de Desenvolvimento, o Banco do Brics, que ela chefia desde março deste ano.

"Dilma Rousseff, atual presidente do Banco dos Brics, ex-presidente do Brasil e renomada economista, foi escolhida por sua significativa contribuição para o desenvolvimento econômico e social do país ao longo de sua carreira", destacou o sistema Cofecon/Corecons ao anunciar a premiação.

A escolha de Dilma foi anunciada no último sábado (9), e aconteceu em quatro fases. Primeiro, os conselhos fizeram uma lista de indicadas. Em seguida, foi formada uma lista de dez nomes. O passo seguinte foi a elaboração de uma lista tríplice, com os três nomes mais votados. Dessa lista saiu o nome de Dilma, escolhida em votação secreta pelo plenário do Cofecon.

"A escolha de Dilma Rousseff como a Mulher Economista de 2023 reflete o reconhecimento do seu legado e expertise no campo econômico, bem como seu papel fundamental na formulação e implementação de políticas que moldaram a trajetória econômica do Brasil", prosseguiu o Cofecon.

A entrega do troféu acontecerá em 2024, mas ainda não tem data marcada. Esta é a quarta edição do prêmio Mulher Economista. Em 2022, a escolhida foi Tania Bacelar, especialista em desenvolvimento regional que integrou a equipe de transição do governo Lula; no ano anterior, a eleita foi a atual ministra da Gestão e da Inovação em Serviços Públicos, Esther Dweck; na primeira edição, a vencedora foi a professora da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) Denise Lobato Gentil.

Com informações do BDF

ÚLTIMAS NOTÍCIAS