Desenvolvimento, inclusão social, sustentabilidade, é possível? Assis Carvalho, responde.

Ele falou também de como quer implementar a marca "modo petista de governar"

Foto: Manoel EduardoAssis Carvalho, presidente do PT
Assis Carvalho, presidente do PT

A segunda parte da entrevista com o presidente do PT do Piauí, deputado Assis Carvalho, começa com ele falando da relação do Partido com os movimentos sociais. Assis faz um comparativo com o que acontece em outras partes da América Latina como Venezuela, Argentina e Bolivia. Ele foi indagado sobre projetos do Estado do Piauí como a Transnordestina, a mineração e o agronegócio e suas relações com os movimentos sociais, admite que estes projetos trazem problemas, de fato, mas indaga: "se quisermos desenvolver tem que considerar os benefícios que virão". Segundo ele o desafio é o ponto de mediação.

Assis Carvalho ressalta que na administração do PT, o sociólogo Antônio José Medeiros, que assumirá a Secretaria Institucional do Partido, será o responsável para cobrar dos governos petistas a marca do “modo petista de governar”.  Diz Assis: “em 2024, poderemos ter mais programa, mais jeito próprio do PT governar, implantar mais nossas bandeiras do que apenas o feijão com arroz”.

Assis quer para 2020 dobrar o número de vereadores e prefeitos eleitos em 2016. Para Teresina defende a idéia de candidatura própria e vê em Fabio Novo e Franzè nomes com condições de vitória.

Veja aqui a primeira parte da entrevista de Assis Carvalho:

"O Brasil está preso em Curitiba", diz Assis Carvalho