Desemprego registra com Bolsonaro a maior taxa de toda série histórica, diz IBGE

O país chega a 14,1 milhões de pessoas desempregadas. A taxa é de 12,8% para os homens e 16,8% para as mulheres

Foto: InvestO país chega a 14,1 milhões de desempregados
O país chega a 14,1 milhões de desempregados

A taxa de desemprego no Brasil bateu novo recorde e atinge a marca de 14,6% no trimestre encerrado em setembro, de acordo com dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua Mensal (PNAD Contínua), divulgada nessa sexta-feira (27).

Segundo números divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o país chega a 14,1 milhões de pessoas desempregadas.

O índice de 14,6% significa um aumento de 1,3 ponto percentual em relação ao 2º trimestre (13,3%), e de 2,8 pontos percentuais com relação ao mesmo período do ano passado (11,8%).

“Essa é a maior taxa registrada na série histórica do IBGE, iniciada em 2012, e corresponde a 14,1 milhões de pessoas. Ou seja, mais 1,3 milhão de desempregados entraram na fila em busca de um trabalho no país”, informou o IBGE.

Desde julho que o desemprego vem batendo recordes no país em meio ao retorno à força de trabalho daqueles que perderam sua ocupação na pandemia mas não estavam procurando um emprego.

A taxa de desemprego é de 12,8% para os homens e 16,8% para as mulheres.