Com Bolsonaro, Brasil tem rombo recorde e dívida se aproxima de 100% do PIB

O governo estima que o setor público consolidado registrará um déficit primário de 812,2 bilhões de reais em 2020

Foto: O GloboBolsonaro e Paulo Guedes
Bolsonaro e Paulo Guedes

 

Brasil 247

A falta de rumo da política econômica adotada por Jair Bolsonaro e pelo ministro da Fazenda, Paulo Guedes, elevou a estimativa para o déficit primário deste ano para um rombo recorde.

O governo estima que o setor público consolidado registrará um déficit primário de 812,2 bilhões de reais em 2020, o equivalente a 11,3% do Produto Interno Bruto, afirmou nesta quinta-feira (30) o secretário especial de Fazenda, Waldery Rodrigues.

Em apresentação em comissão do Congresso, Waldery disse que a expectativa é que o país chegue ao final do ano com uma dívida bruta de 94,7% do PIB e uma dívida líquida de 67,2% do PIB.

As projeções levam em conta uma retração de 4,7% do PIB no ano e não consideram, no caso da dívida, uma eventual ação do Banco Central que impacte o indicador, como a venda de reservas internacionais, disse Waldery.