2020 se aproxima e com ele eleições para prefeito de Tereina

2020 se aproxima e com ele eleições para prefeito de Tereina


O que esperar de 2020
Por Daniel Ribeiro, professor do IFPI
Em 2020 o Palácio da Cidade passa por mais um processo eleitoral. Lá se vão mais de três décadas de uma administração tucana pífia, que coloca Teresina entre as capitais com menor desenvolvimento industrial, econômico e urbano da região. Seria a discrepância de uma quitinete e uma cobertura, quando se tenta comparar Teresina com as duas capitais mais próximas, São Luís e Fortaleza, por exemplo.
Obras mínimas estruturantes são feitas a passos de tartarugas, isso quando são concluídas. Um sistema de drenagem ineficiente, incapaz de fazer fluir adequadamente as águas pluviais, deixando inacessíveis vários pontos da cidade, incluindo o que chamam de área nobre. Prejuízo para moradores, comerciantes e donos de veículos.
Interferências infantis no trânsito da capital, aparentemente pensadas por quem tem num carrinho de plástico e numa parede o único contato com trânsito. Métodos ineficientes e ultrapassados, ruas e avenidas abarrotadas de sinais que não conseguem controlar e dar a fluidez adequada ao tráfego, ausência de obras estruturantes como novas avenidas, viadutos, túneis. Sobressai, tão somente, a eficiência da indústria da multa, vigiando as esburacadas vias. Isso sem considerar um sistema de transporte público obsoleto, sucateado, ineficiente e... caro para o usuário. Licitações que levam a imaginar não mais que um pagamento de favores concedidos no período eleitoral.
Alguns bons nomes se colocam nessa disputa na busca de defenestrar toda essa cúpula do atraso em nossa cidade. O ex-secretário de Justiça do Estado, Daniel Oliveira, por exemplo, é um quadro altamente ético e capacitado da política piauiense. O atual secretário de segurança pública coloca-se também à disposição nesse embate. Um nome com forte apelo popular, ainda sem partido definido, é o médico Dr. Pessoa que sempre surpreende em número de eleitores fiéis. E mais vários outros tidos como oposição.
Outros nomes ainda surgirão, outros irão abrir mão da disputa. E, logicamente, não se pode menosprezar a força política do grupo da situação, porém devemos encarar essa eleição como uma oportunidade real de ruptura com um modelo ultrapassado e que não leva nossa cidade ao tão almejado e necessário desenvolvimento como nossas vizinhas do Nordeste.
OBS: Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do pensarpiaui