Piauiense

Oscar de Barros

Piauiense

Wellington Dias e Regina Sousa: mais uma vez juntos, agora, na Assistência Social

Foto: DivulgaçãoWellington Dias e Regina Sousa
Wellington Dias e Regina Sousa

O mundo vai capotando, mas nada que aconteça, separa a dupla Wellington Dias/Regina Sousa.

Hoje, o presidente diplomado Lula confirmou que o senador eleito Wellington Dias será o ministro do Desenvolvimento Social a partir de primeiro de janeiro de 2023.

Esta é a pasta que cuida da política de Assistência Social no Brasil.

Aqui no Piauí, a governadora Regina Sousa vai finalizando seu mandato. Em primeiro de janeiro ela passa a faixa para o governador eleito Rafael Fonteles e, este, como já anunciou, assinará portaria nomeando Regina Sousa. Para qual pasta mesmo? Para a Secretaria de Assistência Social. 

Pelos próximos 4 anos - é a expectativa - Regina Sousa vai cuidar da Assistência Social no Piauí; e Wellington Dias, no Brasil. 

Faz tempo que esses dois andam juntos numa dobradinha de muito sucesso. 

Bancários; Regina, do Banco do Brasil; Dias, da Caixa Econômica Federal; os dois presidiram o Sindicato da categoria, um após o outro, um sendo vice do outro.

Do movimento sindical para a participação na política. Wellington Dias presidiu o PT, Regina Sousa, fez o mesmo.

Do PT para o governo do Piauí. Ao ganhar o governo do Estado em 2002, Wellington Dias deu a Regina Sousa a Secretaria de Administração do Estado. Eram tempos de servidores desmotivados e com salários atrasados. Wellington Dias e Regina Sousa, mudaram este quadro. 

Em 2010, Wellington Dias foi eleito senador e tinha Regina Sousa como primeira suplente. Em 2014, voltou ao governo do Estado. Regina terminou os 4, dos 8 anos de Wellington Dias na Câmara Alta. 

Em 2018, Wellington Dias colocou seu nome pela a 4ª vez para o governo do Estado. Havia uma grande disputa nos bastidores para saber quem seria o/a vice de Wellington Dias. Modéstia a parte, este blogueiro foi quem primeiro sugeriu(*) o nome de Regina Sousa como vice de Wellington Dias. O então presidente do PT, o saudoso deputado Assis Carvalho, encampou a ideia e Regina Sousa tornou-se vice-governadora de Wellington Dias. 

Agora os dois estarão à frente da Assistência Social. 

Este escrevinhador tem uma certeza: o sucesso da dupla vai continuar. 

A seguir texto publicado no Blog do Oscar de Barros então hospedado no 180graus:

Wellington Dias deveria indicar Regina Sousa como candidata a vice-governadora

29/11/2017

O Progressista quer a vaga de vice, na chapa de Wellington Dias.

O PMDB também quer a vaga de vice.

João Vicente Claudino retornaria a politica e poderia ser vice.

O PT luta para manter a vaga de senador que hoje é ocupada por Regina Sousa.

Esse filme já foi exibido antes.

Em 2010, Wellington Dias foi candidato a senador da Republica e todo mundo queria indicar o suplente daquele candidato. A disputa era tanta que quase trinca a base aliada de Wellington Dias.

Ele saiu da situação com uma decisão salomônica: a amiga e colega partidária Regina Sousa seria sua suplente. E assim foi!

Agora, novamente, todos querem ser vice de Wellington Dias. Ele ganhando as eleições, assume seu 4º mandato de governador do Estado. No inicio de 2022 terá que entregar o comando do Estado ao vice, para disputar um outro cargo eletivo. Dai vem os interesses do momento.

Vou dar uma sugestão ao governador Wellington Dias.

Não permita que Regina Sousa se candidate a reeleição. Negocie com a base aliada as duas bagas de senado.

Indique Regina Sousa, candidata a vice-governadora em sua chapa.

Saberemos realmente quem esta aliado ou apenas nutre interesse em ser governo na garupa da popularidade de Wellington Dias.

Sua coerência de vida publica estará mantida já que dividiu a presidência do Sindicato dos Bancários com a mesma Regina Sousa; a nomeou para o importante cargo de Secretária de Administração e, finalmente, a indicou suplente no Senado Federal.

Lula iria gostar. A militância petista então...

O potencial eleitoral de Wellington Dias é inegável. Mas e o PT? Deve contentar-se em ter, em seu maior líder, a única representação majoritária? Esse mesmo PT que é seguidamente sacrificado pela base aliada nas coligações proporcionais perdendo cadeiras nas casas legislativas por conta das referidas alianças?

O PT apanha a nível nacional e na assembleia legislativa do Piaui demasiadamente, mesmo assim, ainda é o Partido politico preferido da população piauiense e brasileira; tem seus programas de governo reconhecidos pela população e internacionalmente. É justo ficar com apenas uma vaga na chapa majoritária?

O PT aceitará, novamente, um outro nome na vice, como ocorreu no quadriênio 2006/2010, e em seguida ser enxotado do governo?

Regina Sousa para vice-governadora.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS