Eleições 2024

Boulos lidera em SP com 35,7% das intenções de voto, diz Atlas/CNN

Na sequência aparecem Ricardo Nunes, Pablo Marçal e Tabata Amaral


Reprodução Boulos lidera em SP com 35,7% das intenções de voto, diz Atlas/CNN
Guilherme Boulos (Psol)

Pesquisa AtlasIntel/CNN sobre a corrida pela Prefeitura de São Paulo, divulgada nesta quarta-feira (19), mostra Guilherme Boulos (Psol) na liderança, com 35,7% das intenções de voto. A pesquisa, registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o número SP-00609/2024, entrevistou 2.220 eleitores paulistanos entre os dias 10 e 11 de junho, com uma margem de erro de dois pontos percentuais para mais ou para menos e um nível de confiança de 95%.

O levantamento posiciona o atual prefeito, Ricardo Nunes (MDB), na segunda colocação, com 23,4%. Desde a pesquisa anterior, realizada em 28 de maio, Nunes teve um crescimento significativo, subindo 2,9 pontos percentuais em relação aos 20,5% que detinha anteriormente.

Pablo Marçal (PRTB) vem em terceiro lugar com 12,6%, seguido por Tabata Amaral (PSB) com 10,7%. Marçal também apresentou um aumento acima da margem de erro, ganhando 2,2 pontos percentuais em comparação com o levantamento de maio.

  • Guilherme Boulos (Psol): 35,7%;
  • Ricardo Nunes (MDB): 23,4%;
  • Pablo Marçal (PRTB): 12,6%;
  • Tabata Amaral (PSB): 10,7%;
  • Kim Kataguiri (União): 6,9%;
  • José Luiz Datena (PSDB): 5,8%;
  • Marina Helena (Novo): 2%;
  • Altino Prazeres Júnior (PSTU): 0%.

Sem Marçal e Datena

Em um cenário alternativo onde Pablo Marçal e o apresentador José Luiz Datena não participam da corrida, Boulos amplia sua liderança com 37,5% das intenções de voto, enquanto Nunes sobe para 32,4%. Nesse contexto, Tabata Amaral aumenta sua fatia para 11,8% e Kim Kataguiri passa a 8,2%. Marina Helena (Novo) figura com 3,2%, e Altino não pontua.

Segundo turno

A pesquisa também simulou possíveis cenários para o segundo turno entre os principais candidatos. No confronto direto entre Boulos e Nunes, os números indicam um empate técnico.

Deixe sua opinião: