Vídeo– Morador é filmado sendo racista com porteira: ‘Grava, macaca! Chimpanzé, você não presta’

Ela filmou ainda uma ligação do sujeito, já em seu apartamento, no momento em que ele ameaça de descer com um revólver

Foto: ReproduçãoRacista Vinícius Pereira da Silva
O racista Vinícius Pereira da Silva

Uma porteira de um prédio residencial do Jardim Goiás, em Goiânia, denuncia que foi vítima de injúria racial e ameaça enquanto trabalhava. As informações são do G1.

O caso aconteceu nesse domingo (18) e um vídeo mostra os xingamentos e agressividade do morador:

“Grava, macaca! Chimpanzé! Chipanga! Me encara, desgraça”.

Veja o vídeo:

De acordo com a porteira, que preferiu não ter a identidade divulgada, a discussão começou porque o morador chegou de carro em frente ao portão da garagem e piscou os faróis, querendo entrar sem se identificar. A funcionária explicou que não poderia abrir para qualquer um que fizesse um sinal e que precisava que o homem se identificasse, o que irritou o morador. Minutos após ofendê-la pessoalmente e de subir ao apartamento onde mora, ele ligou na portaria e continuou com a discussão. A mulher questiona o motivo de estar sendo ofendida, e ele responde:

“Porque você não presta, desgraça. Você é uma merda, abaixo de zero”.

O homem ainda ameaça a porteira dizendo que é policial e que vai descer até ela armado: “Vou meter minha arma na cintura e vou aí resolver”.

O nome do morador é Vinícius Pereira da Silva. A Polícia Civil também não o encontrou para conduzi-lo à delegacia e colher depoimento. A corporação informou que ainda não confirmou se o morador realmente é um policial, conforme se identificou à porteira.

O delegado Eduardo Carrara mora no mesmo condomínio e, quando soube do problema, foi à portaria para dar assistência à vítima, que estava nervosa e emocionalmente abalada por causa do episódio de agressões verbais. De acordo com o policial, não é a primeira vez que este morador causa alguma confusão no condomínio. Quem investiga o caso é o delegado Gil Fonseca Bathaus, responsável pelo 8º Distrito Policial de Goiânia. Segundo ele, o caso está registrado como ameaça e injúria racial.

“Ouvimos três testemunhas e a vítima. O autor não foi localizado na casa dele, mas deixamos a intimação para ele seja ouvido aqui amanhã. Se ele tivesse sido localizado na hora, ele já teria sido autuado em flagrante porque a pena excede dois anos [de prisão], mas ele havia evadido”, explicou ao G1.