Pensar Piauí

Vídeo: Chico Buarque se une a Lula e denuncia genocídio em Gaza

Em sua declaração, o artista se alinhou com as recentes críticas do presidente Lula ao governo de Israel.

Foto: ReproduçãoChico Buarque
Chico Buarque

 

Nesta sexta-feira (1º), o cantor e compositor Chico Buarque utilizou suas redes sociais para se posicionar sobre os ataques israelenses contra palestinos na Faixa de Gaza. Em sua declaração, o artista se alinhou com as recentes críticas do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) ao governo de Israel.

Em publicação no Instagram, o músico expressou sua preocupação com o que chamou de “genocídio de palestinos em Gaza”. Esta é a primeira vez em que o cantor, cujas redes sociais costumam ser utilizadas de forma mais protocolar, emite uma declaração pessoal sobre o conflito na região.

Veja vídeo:


Sem mencionar diretamente o presidente Lula, Chico entoou as recentes declarações do líder petista, que classificou o conflito em Gaza como uma “carnificina” durante a Cúpula da Comunidade de Estados Latino-Americanos e Caribenhos (Celac), ocorrida em São Vicente e Granadinas. Lula também enfatizou a necessidade de dar fim à “matança” na região.

A manifestação do cantor foi acompanhada por um frame de vídeo que mostra centenas de palestinos correndo em direção a caminhões de ajuda humanitária, antes de serem alvejados por tropas israelenses. As imagens causaram indignação global e levantaram críticas sobre o uso excessivo da força pelo exército de Israel.

Enquanto isso, o Ministério das Relações Exteriores brasileiro, sob o comando do ministro Mauro Vieira, reiterou duras críticas às ações do governo sionista. Em nota, o Itamaraty condenou a ação militar em Gaza, ressaltando a situação desesperadora da população civil na região e as dificuldades enfrentadas para obtenção de alimentos.

O Brasil tem mantido uma posição crítica em relação ao governo de Israel desde as declarações de Lula, que comparou as ações em Gaza ao Holocausto nazista. Essa postura resultou em tensões diplomáticas entre os dois países, com Israel declarando o petista como “persona non grata” e criticando suas declarações.


Com informações do DCM

ÚLTIMAS NOTÍCIAS