Um escárnio para a cultura negra

Nomeado para a Fundação Palmares, Sérgio Nascimento nega racismo e diz que Brasil terá movimento de negros da direita conservadora

Foto: Brasil 247Sérgio Nascimento
Sérgio Nascimento

“O Brasil terá um movimento de negros da direita conservadora. Nós somos muitos! E sempre existimos!”, publicou Sérgio Nascimento Camargo na rede social no último domingo. Ele acaba de ser nomeado como novo presidente da Fundação Palmares, instiuição criada para promover a cultura afro-brasileira.

“A esquerda é o maior dos racistas; vê o negro como subraça de bandidos, incapazes e militantes reduzidos a animais raivosos”, escreveu em outra publicação, na mesma rede social.

É da mesma rede que vem o pedido de imediata exoneração. " O novo presidente da Fundação Palmares, nomeado por Bolsonaro, fala que a escravização foi benéfica para os negros, nega a existência do racismo no Brasil e prega o fim do movimento negro. Ataca Marielle, Taís Araújo e Angela Davis. Isso é um escárnio! Queremos sua exoneração já!", escreveu David Miranda.

"Presidente da Fundação Palmares presta um desserviço à causa da luta contra a discriminação racial", postou o deputado Paulo Teixeira