Piauiense após eliminação em Tóquio: "Minha família fazia bingo para chegar onde cheguei"

Reserva do time do revezamento 4x400m do Brasil, João Henrique Falcão lamenta dia sem medalha

Foto: Arquivo pessoalJoão Henrique
João Henrique

 

GE - Atleta reserva da equipe brasileira de revezamento 4x400m misto nos Jogos Olímpicos, o piauiense João Henrique Falcão agradeceu após a eliminação nas eliminatórias da prova no estádio Olímpico de Tóquio, no Japão. João relembrou um pouco de sua história e mostrou sentimento de gratidão pelo apoio de quem esteve por perto durante toda sua trajetória.

- Quero agradecer a todos vocês que torceram por mim e que de alguma forma me ajudaram. Quero dizer que é muito satisfatório para um atleta que está lutando todos os dias, que não tem apoio ou o mínimo de apoio, estar aqui. Sou privilegiado de estar aqui. Agradeço a todos os patrocinadores, todas aquelas pessoas que estão atrás disso. Agradeço ao CT Maranhão e, hoje, é o clube que me banca e me deu todo suporte para estar aqui. Não pense que sempre foi assim. Sempre passei muitos perrengues, minha família deu o máximo por mim, fazia bingo, várias coisas para chegar onde cheguei – disse o velocista nas redes sociais.

- Hoje estou podendo realizar um sonho de estar aqui prestigiando uma Olimpíada. Desta vez não corri, sabia que existia a possibilidade de correr e também sabia o porquê de estar aqui. Estou muito feliz. Só tenho a agradecer a todos. Prestigiar isso aqui está sendo surreal e maravilhoso – completou.

João era reserva na equipe brasileira de revezamento 4x400m formada por Pedro Burmann, Tiffani Marinho, Tábata Vitorino e Anderson Henriques. Os brasileiros fecharam a segunda bateria com a sétima posição. No geral, o Brasil ficou em 12º lugar na classificação, e apenas os oito melhores avançaram para a decisão.

Nascido em Teresina, mas criado em Timon, no Maranhão, João Henrique despontou no atletismo nos 400m. Ele não foi convocado inicialmente para as Olimpíadas, mas herdou a vaga após Lucas Carvalho optar se dedicar exclusivamente aos 400m em Tóquio. O jovem velocista que defende o CT Maranhão tem apenas 22 anos.