Petrobras teve queda de R$ 100 bilhões após intervenção de Bolsonaro

Segundo o economista Eduardo Moreira, o presidente "deu uma rasteira no sistema financeiro”

Foto: Cidade OnJair Bolsonaro
Jair Bolsonaro

A intervenção do presidente Jair Bolsonaro na presidência da Petrobras gerou um grande impacto sobre o valor da estatal na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa). Segundo estimativas do Valor Econômico, o impacto é de R$ 100 bilhões.

Reportagem de Lucas Hirata e Marcelo Osakabe, publicada nesta segunda-feira (22) no Valor, aponta que a empresa saiu de R$ 383 bilhões de valor de mercado, na quinta-feira, para R$ 283 bilhões, nesta segunda. Uma queda de 25%.

Bancos e corretoras mudaram suas recomendações sobre compra e venda e sobre os preços das ações da estatal.

“Vamos ajustar posições. A incerteza sobre a tese de investimentos tanto na Petrobras quanto no Banco do Brasil aumentou demais, e não faz mais sentido manter as mesmas posições”, disse um integrante do mercado financeiro ouvido pelo Valor.

Na sexta-feira (19), o presidente demitiu Roberto Castello Branco do comando da estatal e nomeou o general da reserva Joaquim Silva e Luna para o cargo. O militar faria dois anos no cargo de diretor-geral da Itaipu no próximo dia 26.

A troca no comando da Petrobras aconteceu depois de Bolsonaro criticar o aumento sucessivo nos combustíveis, em política comandada pela Petrobras. O titular do Planalto estava incomodado com a pressão popular por causa dessas altas. Neste ano, já foram anunciados quatro aumentos, o último na última quinta-feira (18).

O economista Eduardo Moreira afirmou em entrevista ao Fórum Onze e Meia, nesta segunda, que a decisão do presidente representou uma “rasteira” no sistema financeiro.

“Bolsonaro joga uma nova componente de incerteza em uma economia que é uma das mais incertas do mundo. Bolsonaro dá uma rasteira em um importante apoiador seu, o sistema financeiro, que tinha como seu representante o presidente da Petrobras”.

Veja a entrevista completa: