Na Paulista manifestantes entoam: "Ei, Bolsonaro, vai tomar no .."

Parada LGBTQIA+ tem multidão e gritos de “Fora Bolsonaro”

Foto: twitterParada LGBT

 

Neste domingo (19) acontece a Parada do Orgulho LGBTQIA+ em São Paulo, na Avenida Paulista. A principal via da cidade foi tomada por pessoas com bandeiras de arco-íris após dois anos de interrupção devido à pandemia. Este ano, o evento trouxe um tom político.

O tema escolhido para o retorno às ruas foi “Vote com Orgulho”, em referência às eleição de outubro. A organização afirmou que a ideia era fazer um evento de caráter suprapartidário, mas a maior parte das manifestações traziam críticas ao governo Bolsonaro.

Desde a concentração muitos manifestantes carregavam cartazes ou bandeiras contra o presidente Jair Bolsonaro (PL). Vendedores no local também ofereciam material contra o atual mandatário ou que faziam alusão a símbolos da oposição, como a vereadora Marielle Franco, morta em 2018, e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

Mesmo com tom político, a presidente da Parada, Claudia Regina dos Santos Garcia, disse que não haveria nenhuma manifestação partidária durante a realização do evento por parte da organização. “Não vou puxar nem ‘Lula Lá’ nem ‘Fora Bolsonaro’”, declarou em entrevista à Folha de S.Paulo.

“Não vou discursar a favor ou contra um candidato, somos um movimento suprapartidário. Mas defenderemos um voto que seja representativo dos nossos direitos, um voto progressista, tanto no executivo como no parlamento”, afirmou.

Vários políticos compareceram para prestigiar o evento, como o deputado Orlando Silva (PCdoB-SP) e Guilherme Boulos (Psol), pré-candidato a uma vaga na Câmara. A ex-prefeita de São Paulo Marta Suplicy também esteve presente e criticou o atual governo, mas sem mencionar diretamente Bolsonaro.

“Não é um momento qualquer da nossa história. Nós estamos num retrocesso civilizatório. Tudo o que faz com que tenhamos respeito uns com os outros é o que estamos perdendo nesses anos”, disse.

O atual prefeito de São Paulo, Ricardo Nunes (MDB), ainda não compareceu e nem confirmou presença. Tradicionalmente, o chefe do Executivo da cidade costuma ir à Parada.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS