Mulher é atropelada ao ajudar grávida no litoral de SP

O caso ocorreu no condomínio localizado na rua Minas Gerais, na Vila São Jorge, onde há diversas residências

Foto: ReproduçãoAtropelamento
Atropelamento

Um homem agrediu uma mulher grávida e atropelou uma das vizinhas que tentava apartar a briga do casal, dentro de um condomínio em São Vicente, no litoral de São Paulo. As agressões ocorreram na sexta-feira (23/04) e foram registradas por câmeras de monitoramento.

O caso ocorreu no condomínio localizado na rua Minas Gerais, na Vila São Jorge, onde há diversas residências. Por volta das 17h, uma mulher grávida saiu correndo, de uma das casas, e pediu ajuda à uma vizinha, que estava na rua.

“Ela saiu correndo da casa dela, gritando, pedindo socorro, dizendo que ele iria matar ela. A vizinha aceitou ajudá-la. Ele pegou a menina pelo cabelo e bateu nela”, conta um dos moradores, que prefere não se identificar.

As imagens das câmeras mostram o momento em que o homem se aproxima da mulher grávida e a puxa pelo cabelo, fazendo ameaças. Em seguida, ele entra no carro e continua conversando com a mulher, que permanece na rua.

Exaltado, ele sai do veículo e força a grávida a entrar no banco da frente, ao lado do motorista. Ela tenta se defender e consegue sair do carro. O homem, novamente, obriga a mulher a entrar no carro, dessa vez, no banco de trás.

Três vizinhas, que tentavam defender a grávida, começam a gritar com o homem que está dentro do carro. Ele, então, acelera e joga o veículo em cima das três mulheres. Duas conseguem escapar e uma delas é prensada contra a parede de uma das casas. O homem dá ré com o carro, destrói o portão do condomínio e foge.

A vizinha atingida pelo carro permaneceu no chão e as outras mulheres acionaram o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). Ela quebrou o fêmur e foi levada para o Hospital Municipal de São Vicente, onde permanece internada.

O casal alugou a casa no condomínio há três meses. De acordo com moradores, as brigas entre os dois eram constantes e, em outra ocasião, o homem já tinha violentado a mulher.

O pagamento do aluguel sempre estava atrasado e, por isso, o proprietário do imóvel iria entrar com uma ação de despejo, caso eles não saíssem do local. O casal teria que deixar a casa nesta sexta-feira, quando ocorreram as agressões. Após o episódio, o casal não foi mais visto no condomínio.

Agressor não foi localizado

Ainda segundo o depoimento da gestante à Polícia Civil, após a confusão no condomínio da Vila São Jorge, ela conseguiu escapar do carro durante uma parada do veículo no trânsito, na altura do bairro Marapé, em Santos.

A mulher pediu ajuda a pessoas que estavam pela rua e conseguiu chegar à casa de uma amiga, onde ficou até o momento em que foi à delegacia prestar depoimento. De acordo com a Polícia Civil, o suspeito tem passagens pela polícia por roubo e tráfico de drogas, ambos os crimes cometidos em 2018.

O homem ainda não foi localizado para prestar esclarecimentos sobre as agressões e o atropelamento da vizinha, além dos danos materiais causados no condomínio. No entanto, o carro dele foi encontrado pelos policiais civis do 5º DP de Santos na Rua Rômulo Merlin Junior, na Caneleira, após uma denúncia anônima. O veículo estava com as laterais amassadas, além do para-brisas quebrado.

As vizinhas também foram ouvidas, no dia 24. O caso foi registrado como lesão corporal, injúria, ameaça, tentativa de homicídio, dano ao patrimônio e violência doméstica na Delegacia Sede de São Vicente e deve ser encaminhado à Delegacia de Defesa da Mulher do município, que decidirá pela instauração de um inquérito policial para apurar os fatos.

Foto: ReproduçãoApós agressões e atropelamento de vizinha, homem quebrou o portão do condomínio em São Vicente, SP
Após agressões e atropelamento de vizinha, homem quebrou o portão do condomínio em São Vicente, SP