MP vai apurar crime de homofobia cometido por pastor que orou pela morte de Paulo Gustavo

O religioso, ao se defender, afirmou que buscou "defender a honra de Deus"

Foto: Reproduçãoperfil
Pastor José Olímpio e Paulo Gustavo

 

Fórum- O Ministério Público de Alagoas (MPAL) anunciou nesta terça-feira (20) que irá investigar o crime de homofobia (que hoje é enquadrado na Lei de Racismo) cometido pelo pastor José Olímpio, da Assembleia de Deus de Alagoas. No último dia 15, o religioso afirmou em suas redes que estava orando pela morte do ator Paulo Gustavo.

“Ao menos a priori e, em tese, verifica-se, neste caso, o induzimento, discriminação e preconceito, penalmente típicos nos moldes do artigo 20 da Lei nº 7.716/89”, declarou Lucas Sachsida, promotor do MPAL em comunicado.

comunicado divulgado pelo MPAL também afirma que “apesar do pedido de desculpas feito, não há, no caso, uma vez que a publicação fora disposta nas redes sociais, na rede mundial de computadores, a aplicação do instituto da desistência voluntária (Código Penal, art. 15), razão pela qual a apuração do crime deve ser iniciada de imediato”.

O pastor José Olímpio da Silva Filho escreveu uma carta destinada ao ator Paulo Gustavo onde pede desculpas por ter desejado a sua morte publicamente.

Na carta, o pastor afirma que “nunca foi intenção do meu coração ferir, ofender ou machucar a nenhum dos ofendidos (que são milhares), a começar pelo ator Paulo Gustavo, que foi atingido diretamente passando por seus familiares, amigos, admiradores e muitos fãs, pois o mesmo é uma pessoa querida no mundo artístico”, disse o religioso.

Veja mais detalhes em: Pastor bolsonarista diz que vai orar para Paulo Gustavo morrer