Pensar Piauí

Lula e Wellington Dias viajam à África para pacto contra a Fome e a Pobreza

Comitiva estará na Etiópia, entre a sexta-feira (16.02) e o domingo (18.02), para a 37ª Cúpula de Chefes de Estado e de Governo da União Africana

Foto: Roberta Aline/ MDSMinistro Wellington Dias
Ministro Wellington Dias

A construção da Aliança Global contra a Fome e a Pobreza tem uma importante etapa de costura com a visita do presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, à capital da Etiópia, Adis Abeba, sede da 37ª Cúpula de Chefes de Estado e de Governo da União Africana (UA).

O ministro do Desenvolvimento e Assistência Social, Família e Combate à Fome, Wellington Dias, se junta à comitiva brasileira na sexta-feira (16.02), com a missão de obter apoio para a principal proposta do Brasil na presidência do G20.

“Os países do G20 aceitaram debater essa Aliança Global e aceitaram que, uma vez lançada essa Aliança, tivesse uma plataforma que permitisse a participação de outros países, não apenas os do G20”, afirmou Wellington Dias.

A entrada da União Africana (UA) como membro efetivo do G20, na cúpula de Delhi, na Índia, em setembro de 2023, abriu novas possibilidades para a Aliança Global contra a Fome e a Pobreza. O bloco reúne todas as 55 nações da África, com um PIB combinado de cerca de US$ 3 trilhões.

A incorporação da UA também está alinhada à meta de reestruturação da governança global proposta pelo Brasil na presidência do G20.

“Este momento dá ao Brasil a oportunidade de colocar no centro da agenda a erradicação da fome, a diminuição da pobreza e da desigualdade, aliadas à preservação do meio ambiente e à uma nova governança global”, prosseguiu o titular do MDS.

Na Etiópia, além de participar dos eventos relacionados à agenda da Cúpula de Chefes de Estado e Governo da UA, a comitiva brasileira terá encontros bilaterais com representantes de diversos países africanos até o domingo (18.02).

Aliança Global

A ideia de formar uma Aliança Global contra a Fome e a Pobreza é uma iniciativa do presidente Lula, que começou a ser trabalhada quando o Brasil assumiu a chefia do G20, grupo que reúne as maiores economias do planeta.

A proposta é oferecer uma cesta de experiências exitosas de diversos países a outras nações que queiram adaptar e implementar estas políticas públicas em seus territórios. 

Os mecanismos de financiamento e governança serão discutidos ao longo do ano e apresentados aos Chefes de Estado e Governo na Cúpula do G20, marcada para novembro, no Rio de Janeiro, quando deve ser pactuada a Aliança Global.

Assessoria de Comunicação - MDS

ÚLTIMAS NOTÍCIAS