Ela sofreu assédio sexual e deixou a PM; ele, foi promovido e aposentado

Aposentadoria não suspende apuração do inquérito instaurado pela Corregedoria da Polícia Militar

Foto: Montagem pensarpiauíJéssica e Cássio
Jéssica e Cássio

G1 - O policial militar Cássio Novaes, denunciado por assédio sexual e ameaças de morte, em abril deste ano, pela ex-soldado Jéssica Paulo do Nascimento, de 29 anos, foi promovido a coronel e aposentado da corporação. Ele cumpria licença remunerada desde quando as denúncias foram protocoladas na Corregedoria da PM. As denúncias continuam sendo investigadas.

Os atos administrativos foram publicados na edição do Diário Oficial do Estado deste sábado (17). Em nota, a Polícia Militar confirmou a aposentadoria e informou que foi devido ao tempo de serviço dele na corporação.

Na Polícia Militar, é praxe que, ao se aposentar, o policial seja promovido ao posto superior. A publicação dos dois atos é sempre feita na mesma edição do Diário Oficial, assim como aconteceu no caso de Cássio Novaes.

Mesmo que não esteja mais na ativa, a apuração das denúncias continua, já que as trocas de mensagens denunciadas pela ex-soldado aconteceram enquanto os dois atuavam na corporação.

Ainda, se ele for considerado culpado pelo assédio sexual e ameaças de morte, o processo pode fazê-lo perder o posto, resultando na perda da aposentadoria do coronel. O advogado de defesa dele, Anezio Donisete Lino, enfatizou que o coronel tem mais de 30 anos na corporação e o tempo abre a possibilidade dele ir para a reserva.