95% dos motociclistas compraram seus veículos nos governos do PT

Gados do Asfalto precisam entender que vão gastar gasolina para cultuar um sujeito que faz de tudo para acabar com o mercado de duas rodas no Brasil

Foto: MotosonlineMotos
Motos

 

Por Celso Raeder, jornalista, no Brasil 247 

De antemão aviso que os dados não estão atualizados, mas considerando a situação econômica do país em razão da pandemia, agravada pela incompetência do presidente em lidar com a covid à luz da ciência, é muito provável que os números estejam até subestimados. Mas o fato é que, no próximo domingo, dia marcado para a segunda motociata em apoio ao líder dos Gados do Asfalto Motoclube, 60% das motocicletas que desfilarão na Avenida Paulista foram compradas no governo Lula. Este é o percentual da frota circulante de motocicletas no Brasil, todas com idade média de seis a 15 anos de uso, segundo consta do Relatório divulgado pelo Sindipeças, em 2019. E já que os “sons of anarchy” do Bexiga vão estrelar de qualquer jeito, aí vai o segundo petardo: 35% dos seus veículos  foram adquiridos na gestão Dilma Rousseff. Qualquer dúvida é só consultar o Renavan, talkey!

2011 foi o ano em que mais se vendeu motocicletas no Brasil, com a impressionante marca de 1,93 milhão de veículos, batendo o recorde da série histórica registrada em 2008, por coincidência também na gestão do presidente Lula. Estes são números computados pela Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares (Abraciclo),entidade que esbanjava euforia, com a média de 170 mil veículos vendidos mensalmente no referido exercício.

Os Gados do Asfalto têm uma certa predileção por motos custons, preferencialmente as Harley-Davidson. Sabe quando a lendária marca norte-americana desembarcou no Brasil para comercializar seus modelos em concessionárias espalhadas pelas principais capitais do país? Juro que não vou falar para não ser rotulado de comunista. Agora, não me causará nenhuma surpresa se a Harley anunciar, até o fim deste governo, que está tirando o time de campo. Ou será que dá pra sobreviver num mercado que atualmente só comercializa veículos de baixa cilindrada, onde engenheiros, advogados, profissionais qualificados em escolas técnicas são obrigados a vestir um baú nas costas para sobreviver de entregas? 

Deixando comparativos administrativos de lado, os Gados do Asfalto precisam entender que vão gastar gasolina (seis reais o litro contra R$ 2,75 no governo Dilma – juro que não faço mais paralelos), para cultuar um sujeito que faz de tudo para acabar com o mercado de duas rodas no Brasil. Será que ninguém se deu conta de que a Honda, a Yamaha e tantas outras só existem por aqui em razão dos incentivos concedidos pela Zona Franca de Manaus? E quem é que anda ameaçando acabar com este polo de desenvolvimento econômico industrial? Sem a Zona Franca, meus caros, é bom que vocês aprendam com os cubanos a arte das gambiarras, para manter suas motos funcionando. 

Não faz muito tempo, um caminhoneiro totalmente drogado arrastou um casal que viajava de motocicleta por vários quilômetros, tudo registrado em imagens que chocaram o Brasil. Ganha um capacete quem adivinhar de onde partiu a proposta de acabar com o exame toxicológico para os motoristas de transporte de cargas. E o que dizer da retirada dos radares móveis das rodovias, o que aumentou – e muito - os riscos de acidentes envolvendo a parte mais fraca desse trânsito selvagem, que somos nós, os motociclistas? 

Quantas vítimas estão passando necessidades financeiras, depois que perderam o direito de receber o valor do seguro, com o fim do DPVAT? Da cabeça de quem saiu essa ideia? O pior é que os Gados do Asfalto comemoram não precisar mais pagar uma mísera taxa de R$ 70, achando que acidente só acontece com os outros. Pelo conjunto da obra, só um total desprovido de capacidade cognitiva não percebe que Jair Bolsonaro não é e nunca será um legítimo representante dos motociclistas. O cara não consegue sequer usar um capacete corretamente. Viola leis de trânsito, coloca vidas em perigo, e tudo isso para quê? Para antecipar o calendário eleitoral, desrespeitando todas as recomendações de isolamento social em razão da pandemia. 

Deixa o Jair passear com seus PMs de estimação, a turminha da caserna que ganhou aumento no soldo, da galera que tá ganhando dinheiro com a motosserra. São eles os 5% que restaram na análise do Sindipeças, que conseguem andar de moto nova por aí. Quer um conselho: guarde a sua antiguinha na garagem, que 2022 é logo ali.