Do facebook de Daiane Rufino Leal

No dia 15 de setembro, motivada por um evento criado aqui no face book, eu fui ao Parque da Cidadania para uma tal Plenária do movimento #elenão. Chegando lá encontrei umas 50 mulheres, muitas jornalistas conhecidas, outras ex-alunas e jornalistas, tantas outras que eu não conhecia, jovens de coletivos feministas, de frentes de Mulheres ligadas a partidos de esquerda. Outras eleitoras da direita. Outras que simplesmente estavam passando e resolveram parar e ouvir aquele debate.

Daquele encontro físico nasceu um grupo de Whatsapp e chegamos a 253 mulheres neste ambiente virtual.

Fizemos novas reuniões presenciais e vários outros grupos virtuais de comissões. Dividimos funções e começamos a trabalhar na organização do ato #elenão #mulheresUnidasContraBolsonaroTeresina

Foram duas semanas exaustivas. De correrias, contatos, articulações e muita audácia para um grupo agora de 15 mulheres que faço questão de registrar aqui meu orgulho de ter estado com elas.

Nesta última semana vieram ameaças, vieram boatos de violência, vieram acusações. Porque a sociedade não acredita que um grupo de Mulheres independentes de partidos políticos e de candidatos possa fazer um evento desta magnitude. Pois tá aí! Fizemos!. Não baixamos a cabeça nem por um segundo.

Se vieram pedras de um lado vieram muitos apoios de outros, artistas, fotógrafos, estudantes, movimentos sociais, sindicatos, coletivos, trabalhadoras, mães, homens … e no sábado, dia 29 de setembro de 2018 nos tornamos 5 mil pessoas caminhando e cantando contra o fascismo na Avenida Frei Serafim.

Foi lindo! Foi gratificante!

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here